Mais um título para o Memorial! O Grêmio é bicampeão da Recopa! Em jogo tenso e com chances incríveis não convertidas pelo Tricolor, o time de Renato Portaluppi bateu o Independiente nos pênaltis por 5 a 4 e conquistou o terceiro título da história da Arena. Mesmo com um jogador a mais por 60 minutos do tempo regulamentar e os 30 da prorrogação, o Grêmio parou no goleiro Campaña e contou, mais uma vez, com o brilho de Marcelo Grohe. E nos primeiros minutos da quinta-feira, 22 de fevereiro, o torcedor gremista pode gritar de novo: É CAMPEÃO!

1º Tempo

Empurrado pelos mais de 40 mil gremistas que foram à Arena, o Grêmio começou em cima do Independiente e, com menos de um minuto, Everton chutou a primeira bola em gol. A grande chance, entretanto, foi aos sete minutos: na intermediária Luan conduziu a bola, livrou-se do marcador e acionou Alisson, na entrada da área. Inteligente, o camisa 23 deu passe perfeito para Everton, que driblou o goleiro e chutou. O zagueiro do Independiente salvou em cima da linha e cedeu escanteio ao Grêmio. Aoa onze, Everton e Cícero protagonizam outra chance real de gol.

Com 21 minutos de jogo Renato Portaluppi teve sua primeira baixa: Léo Moura sentiu lesão muscular e teve de deixar o jogo para a entrada de Paulo Miranda. No lance seguinte, Alisson invadiu a área e por um pequeno atraso não criou outra chance clara de gol para o Grêmio. O Independiente chamou a atenção aos 26, com cobrança de falta frontal que foi direto à linha de fundo.

Foi de Luan a melhor chance do primeiro tempo. Em uma falta cobrada na defesa por Geromel, Cícero desviou de cabeça na intermediária e o Rei da América concluiu de perna direita, dentro da área, para a linha de fundo. Menos de um minuto depois Luan foi ao chão após falta violenta cometida por Amorebieta. Com o auxílio do VAR, o árbitro Enrique Cáceres expulsou o camisa 14 do Independiente.

Apesar de movimentado, tenso, agressivo – por parte do adversário – e com muitas chances de gol do Tricolor, o primeiro tempo encerrou aos 48 minutos com o placar fechado.

2º Tempo

O início do segundo tempo repetiu o primeiro. Com um minuto, Everton recebeu assistência na entrada da área, pelo lado esquerdo. O atacante cortou para a direita e chutou no centro do gol, onde estava colocado o goleiro Campaña. Grande nome do jogo, Everton teve outra chance clara aos oito minutos, exigindo grande defesa do goleiro do Independiente. Menos de 30 segundos depois, o Tricolor trocou passes dentro da grande área e perdeu outra oportunidade.

Dominando as ações do jogo, o Grêmio diminuiu um pouco o ritmo – e o Independiente se fechou como conseguia. Nesse meio tempo Renato substituiu Jailson por Jael. Com 23 minutos, o centroavante tabelou com Alisson e chutou forte da entrada da área para defesa de Campaña. No rebote a defesa afastou quando Everton aparecia para a concluão.

Não foi por falta de incentivo que o Grêmio deixou de converter as chances. Os gremistas da Arena reconheceram a superioridade da equipe e cantaram a plenos pulmões empurrando o time ao ataque. Com 41 minutos Jael chutou forte mais uma vez, porém alto pela linha de fundo. Com as pernas pesadas, o Grêmio não conseguiu impor mais intensidade e a última conclusão do tempo regulamentar foi do melhor jogador em campo: Everton, para defesa de Campaña.

Prorrogação

O primeiro tempo da prorrogação foi de estudo das duas equipes, com chegadas dos dois lados. Pelo Tricolor, Jael arriscou de fora da área aos três minutos, mas a bola saiu à direita do gol de Campaña. Foi o centroavante que quase marcou o gol do Grêmio, aos seis. Maicosuel recebeu passe de Geromel pela direita e cruzou no segundo poste. Jael cabeceou como manda a regra e a bola, caprichosamente, raspou o travessão em direção à linha de fundo.

Aos onze minutos o Independiente teve chance claríssima. Paulo Miranda não conseguiu cortar uma bola próximo à linha de fundo e o Independiente conseguiu chegar ao ataque com perigo. Os argentinos erraram as tentativas de conclusão e o lance parou com falta em cima de Kannemann.

Incrivelmente as chances do Grêmio se multiplicavam conforme passava o tempo e o cansaço devia tomar conta dos jogadores. Em questão de segundos o Grêmio criou duas oportunidades, primeiro com Maicosuel e depois em cruzamento de Jael que Geromel não alcançou. O zero insistia em não sair do placar quando o cronômetro marcava cinco minutos da segunda etapa.

Ufa! Com nove minutos o Independiente quase transforma a inferioridade técnica e numérica em vantagem no placar. Após cobrança de escanteio pela esquerda, a defesa gremista deu bobeira e permitiu que Meza cabeceasse livremente. A bola passou em frente ao goleiro Marcelo Grohe e calou a Arena por segundos. Na sequência Renato fez a quarta substituição – permitida na prorrogação: Cortez deixou o campo para a entrada de Lima.

Com o 0 a 0 também na prorrogação, o jogo foi decidido nos pênaltis. E não foi por falta de tentativas. Quando o relógio marcava 14 minutos, Maicosuel recebeu com espaço, invadiu a área pela direita e fuzilou Campaña, que precisou fazer boa defesa para evitar o gol gremista.

Nos pênaltis o Grêmio converteu todas suas cobranças e Marcelo Grohe defendeu o último chute adversário. O Grêmio é bicampeão da Recopa Sul-Americana!

Fotos: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

 

Share →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.